buscar

Por que não curamos a artrite?

Quando falamos em artrite sempre associamos isso aos idosos, mas na verdade a causa disso também atormenta muitos jovens. Por isso, é um equívoco comum achar que a artrite se limita à velhice.

Saúde
3 semanas atrás
Por que não curamos a artrite?

Dores nas costas, no cotovelo, e joelhos que rangem, tão comuns em idosos, são mais do que apenas velhice.

Veja porque

A artrite é uma doença que causa inflamação e dor nas articulações, presente em todo o mundo, só nos EUA mais de 90 milhões de pessoas sofrem com isso. Os sintomas mais comuns dessa doença é rigidez e dor nas articulações. Entre outros possíveis sintomas estão a vermelhidão, sensação de calor, inchaço e diminuição da amplitude de movimentos nas articulações afetadas.

Existem mais de 100 diferentes tipos de artrite, cada um com diferentes causas, incluindo desgaste das articulações, infecções e doenças subjacentes. Mas a origem e a gravidade desses sintomas variam amplamente. Medicamentos, fisioterapia ou, às vezes, cirurgia ajudam a reduzir os sintomas e melhorar a qualidade de vida. O tratamento pode ajudar, mas essa doença não tem cura.

Mesmo o tipo mais comum, a osteoartrite, é mais difícil de prevenir do que se imagina. Muitas vezes, a osteoartrite pode ter origem no passado do paciente, de qualquer lesão articular aparentemente comum. Acontece que, após um impacto, as células imunológicas correm para ajudar a limpar e reparar o local danificado e começam a produzir enzimas, inclusive agrecanases e metaloproteinases matriz. Essas enzimas limpam o tecido danificado e contribuem para a inflamação. Embora o inchaço rápido ajude a proteger a articulação na recuperação, o tecido curado inadequadamente pode fazer com que as células imunológicas fiquem além do necessário. O fluxo contínuo de enzimas começa a degradar a cartilagem, enfraquecendo a articulação e levando, mais tarde, à artrite.

Mas nem todas as formas de artrite podem ser atribuídas a uma lesão. A artrite reumatoide, que afeta 1,3 milhão de adultos nos EUA, é, na verdade, uma doença autoimune em que o alvo dos autoanticorpos são proteínas produzidas naturalmente, algumas das quais são secretadas por células da cartilagem. Não se sabe qual a causa desse comportamento, mas o resultado é que o corpo trata o tecido da articulação como um invasor estranho. As células imunológicas infiltram-se na articulação, apesar de não haver tecido danificado para reparar. Essa reação leva a uma inflamação crônica, que destrói ossos e cartilagens.

Uma outra doença, a espondiloartrite, tem semelhanças com a osteoartrite e reumatoide. Nele os pacientes têm o mesmo relato de inflamação contínua nas articulações e nos locais onde ligamentos e tendões ligam-se a ossos, mesmo sem qualquer lesão inicial. Isso leva ao fluxo de enzimas e à degradação observada na osteoartrite, mas é causada por diferentes proteínas inflamatórias chamadas citocinas. À medida que as enzimas corroem a cartilagem, o corpo tenta estabilizar as articulações menores, fundindo-as. Esse processo pode causar protuberâncias, o famoso “bicos de papagaio”, que também causam rigidez intensa e dor nas articulações.

Por que não tem cura?

Com tantos fatores que causam artrite, os tratamentos atuais são adaptados para tratar sintomas específicos em vez de causas subjacentes. Os tratamentos variam da promissora técnica de MACI, que utiliza células de pequenas partes de cartilagem para criar tecido de reposição, até uma técnica chamada microfratura, em que os cirurgiões criam pequenos orifícios no osso, permitindo que as células-tronco da medula óssea saiam e formem uma nova cartilagem. Como último recurso, pessoas com cartilagem atrofiada podem até ter a substituição completa das articulações.

Mas, além dessas medidas drásticas, os fatores subjacentes da artrite autoimune ainda apresentam um desafio único de tratamento. Os cientistas estão fazendo progresso com terapias que bloqueiam o TNF-alfa, uma das principais proteínas que causam inflamação na artrite reumatoide. Mas mesmo essa abordagem trata apenas os sintomas da doença, não a causa.

Enquanto ainda estão pesquisando curas e tratamentos para a diversidade enorme de tipos de artrite, a melhor maneira de defesas contra a artrite pode ser bem simples, basta praticar exercícios de baixo impacto, como ioga ou ciclismo, manter um peso saudável para aliviar a pressão das articulações, e evitar fumar.

O uso das nanopartículas pode mudar a maneira como tratamos o câncer
A cada cinco segundos, alguém morre de câncer, e mesmo com muitas tecnologias atualmente, nada ainda é possível para a cura. Só o governo dos EUA gastou mais...
Como retardar o envelhecimento com exercícios
O mito de uma Fonte da Juventude é um dos maiores sonhos da humanidade, presente de um ou outra forma em todos os tempos. Infelizmente essa fonte milagrosa não existe. Mas não...
Paciente com câncer terminal tem melhoras após novo tratamento no Brasil
Ainda é cedo para afirmar que a humanidade conquistou a cura para o câncer, mas já vemos bons resultados aqui mesmo no...
Homem com câncer terminal recebe novo tratamento que faz desaparecer células de linfoma
Um brasileiro com câncer terminal terá alta após terapia genética pioneira obter sucesso pela primeira vez na América...
É possível viver e envelhecer com qualidade
Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Internacional do Idoso (hoje, 1º de outubro) é uma oportunidade para que as pessoas lembrem que a idade chega...

O Fusne é um site para quem ama internet, nós somos especializados em testar apps e tudo mais que envolve tecnologia. O que você vai encontrar por aqui é escrito por humanos, que vivem fazendo compras online, assim como você, então entende as suas dificuldades e felicidades nessas horas. O material do Fusne é testado várias e várias vezes pela equipe...